Por que aprender a entender é melhor que aprender a fazer

Não sou adepta a fórmulas. Talvez esse seja um dos motivos por ter optado por cursos da área de Humanas e não das Exatas, onde as fórmulas são caminhos precisos para um resultado certeiro. Dito isto, é compreensível a angústia desta jornalista que vos fala quando brotam em minhas redes sociais inúmeras ofertas milagrosas para um marketing efetivo que vai te fazer ficar sobrecarregado de ligações, e-mails e propostas comerciais dentro de algo em torno de uma semana (embora esse prazo varie a cada nova promessa de interferência mercadológica divina).

Ora, leitor, não me entenda mal. Seguramente existem estratégias a serem adotadas, caminhos a serem trilhados, e certa objetividade dentro do trabalho que fazemos, caso contrário, os anos de estudos aos quais nos dedicamos poderiam ser preteridos ao mero bom senso ou feeling mercadológico. Não é o caso.

O que quero dizer é que é possível que muitos profissinais de áreas correlatas ao marketing e empreendedorismo estejam dedicando seus tempos e dinheiros em cursos formuláicos que prometem sucesso com um investimento de alguns cifrões e pouquíssimo tempo, quando a mera ideia de aplicar uma equação exata no meio do marketing me parece não apenas absurda, mas completamente incoerente com a essência da prática mercadológica em si.

Na prática, e aproximando ainda mais a comparação às áreas exatas, aplicar todas as fichas em fórmulas prontas, ferramentas pasteurizadas e manuais generalizados, sem fazer o básico, que se trata de observar o produto, a marca, o mercado e o público, para entendê-los e só então saber que estratégias podem funcionar (e tendo ciência de que, em se tratando de pessoas, não existe certeza absoluta, mas tentativa, erro, e validação) é o mesmo que a aplicação da fórmula do volume de um cubo por alguém que não aprendeu ainda as operações matemáticas básicas e que, talvez, precise mesmo do perímetro ou da área.

Sinto que, ao falar de marketing digital, muitos esquecem que isso ainda é marketing – realizado em uma plataforma diferente. A raiz do marketing sempre será conhecer bem o seu produto, os seus propósitos, o diferencial que ele traz ao mundo (e isso é o grande segredo para vendê-lo) para, então, identificar o seu público e atingi-lo.

Daí a importância de, primeiramente, esforçar-se para entender como o marketing e todas as variáveis envolvidas no seu negócio funcionam. Depois disso, fica mais simples aprender a executar uma ou outra estratégia. Principalmente quando consideramos que o marketing atual é absolutamente mutável. É preciso compreender a dinâmica pois se você se limita aos manuais de execução das estratégias, perderá seu valor na próxima atualização do Instagram.

Layouts de vídeos ou modelos de frases de impacto, o que prometem os gurus do “copywriting“, podem ser potencialmente eficientes para um nicho específico. Para outros (que são muitos), podem ser um fracasso. E não diga que não avisei.

Sobre o autor: Andressa Vieira

Jornalista, cinéfila incurável e escritora em formação. Típica escorpiana. Cearense natural e potiguar adotada. Apaixonada por cinema, literatura, música, arte e pessoas. Especialista em Cinema, Marketing Estratégico e mestranda em Estudos da Mídia (PPgEM/UFRN). É diretora da Atena.

Deixe um comentário