Empresas devem se posicionar politicamente? Veja como o Marketing te ajuda!

Em 2022, as eleições presidenciais foram uma das principais pautas do Brasil. O embate direto entre Luís Inácio Lula da Silva e Jair Messias Bolsonaro dividiu o país em dois. Os eleitores constantemente pediam nas redes sociais, o posicionamento de artistas e de marcas brasileiras. 

Agora, todos nós já sabemos qual foi o resultado das eleições: Lula, pela terceira vez, tomou posse e será o presidente do país por mais quatro anos. O evento, que marcou o primeiro dia do ano de 2023, trouxe à tona um questionamento iniciado há alguns mês durante a campanha eleitoral: empresas devem se posicionar politicamente?

 

Vamos conversar sobre isso? Neste artigo, você vai ler:

  • Empresas devem se posicionar politicamente?
  • Quando deve se posicionar?
  • Vantagens e desvantagens do posicionamento político para a empresa
  • Como o marketing pode ajudar nisso?

 

Empresas devem se posicionar politicamente?

Empresas devem se posicionar politicamente?

Ao falar sobre posicionamento político, é importante ressaltar que isso vai além de eleições presidenciais, apesar de ter sido um dos pontos altos nas discussões no último processo eleitoral entre alguns consumidores e clientes de determinadas marcas.

Quando uma empresa se posiciona, isso pode gerar um impacto direto na imagem da empresa, seja positiva ou seja negativa. Por isso é importante avaliar quando deve ser feito e realizado e, sobretudo, se está de acordo com os valores, a missão e a visão da organização. 

Ou seja, o posicionamento deve seguir de acordo com o que a empresa acredita. Além disso, a organização deve ter em mente o impacto social da ação e como deve ser feito isso – desde as palavras que serão utilizadas as imagens que acompanharão o posicionamento. 

Então, sim, se você possui uma empresa e acredita que manter um posicionamento político é importante para o que a organização se propõe, se  posicione. Lembrando que, isso também inclui questões e causas sociais como a LGBTfobia ou a violência contra as mulheres, por exemplo.

Quando deve ter um posicionamento?

Quando deve se posicionar?

Não há uma resposta correta para a pergunta, isso porque não há um momento certo para ter um posicionamento. Claro, há situações e casos que acontecem no dia a dia, com grande repercussão, que podem ser aquele momento para se posicionar, ou até mesmo alguma data comemorativa.

Mas algo que é essencial ter em mente é que, tudo é político, até mesmo não se posicionar sobre determinado fato. Entretanto, como falado acima, o posicionamento a ser feito – ou não – deve estar alinhado com o que a empresa acredita. 

Além disso, outro ponto indispensável a ser levado em consideração é que, não necessariamente a empresa deve se posicionar diretamente a um candidato ou partido político. Muitas vezes, a organização acredita no que determinada figura prega e, portanto, mantém o posicionamento semelhante em prol de uma luta em comum.

Uma empresa que ficou conhecida durante o período eleitoral foi a pizzaria Autêntica da Lambreta (@autenticapizzadalambreta). Em seus posts no perfil no Instagram, a pizzaria realizou diversas publicações posicionando a favor do presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva. 

Em uma publicação, após a vitória de Lula, a empresa publicou uma promoção de pizza no valor de 13 reais, fazendo referência ao número do candidato eleito. De certa forma, tal posicionamento consegue agradar os eleitores com o mesmo posicionamento, além de prospectar novos clientes, mas talvez perder clientes apoiadores do candidato perdedor. Veja o post aqui.

Vantagens e desvantagens do posicionamento político para a empresa

Após entender mais sobre o posicionamento político, chegou a hora de refletir sobre as vantagens e as desvantagens para a empresa ao fazer isso publicamente. Porque, sim, devido ao posicionamento contrário a empresa, o boicote pode acontecer, e talvez não seja tão fácil lidar com isso.

Cada vez mais, os consumidores estão buscando consumir produtos e serviços de empresas que estejam alinhadas com o que acreditam. Não só na parte “externa”, com campanhas e vendas, mas também como é a estrutura interna da empresa, como a empresa se posiciona em relação à inclusão e à diversidade.

Dessa forma, é importante que, se a empresa se posiciona externamente sobre tais assuntos, mas não aplica isso na estruturação interna e ações promovidas dentro da organização, pode se tornar desvantajoso a vista do consumidor. Ou seja, a empresa não estaria colocando em prática o que aparentemente acredita, passando uma imagem negativa para aqueles que consomem  os seus produtos. 

Então, antes de se posicionar politicamente, avalie se é realmente o que você acredita e coloca em prática todos os dias dentro da sua empresa, combinado? 😉

Como o marketing digital pode ajudar nisso?

O marketing digital é a ferramenta ideal para quem deseja ter uma boa e próxima relação com os consumidores. Saber para quem está falando e entender quem é a sua persona, permite que esse diálogo seja direcionado e alinhado entre a empresa e os consumidores dos produtos e serviços.

Além disso, o gestor de marketing consegue organizar e realizar um planejamento estratégico eficaz, a partir das pautas sociais, para tornar o posicionamento totalmente alinhado com a empresa e os seus valores. Trazer um debate político genuíno, com consciência e responsabilidade, aproxima o público e reforça o branding (gestão de marca).

 

Dúvidas sobre como utilizar a melhor estratégia de Marketing para a sua marca? Entre em contato com a Atena e saiba mais! (84) 2040-1855 ou no Instagram: @atena.marketing

 

Sobre o autor: Cecília Costa

Nascida em Macau, no interior do RN, Cecília é graduanda em Jornalismo na UFRN. Na Atena, é redatora e criadora de conteúdo, já na sua versão mais artística, compartilha artes manuais no seu perfil do Instagram (@espacocecissol) . Ela acredita que a escrita e arte transformam, e fala isso por experiência própria.

Deixe um comentário