Como se tornar (quase) indispensável no mercado de trabalho

Esse é um texto honesto. Por isso, não quis mentir para você nem mesmo no título com o intuito de chamar a sua atenção. A regra é que ninguém seja de todo indispensável. Por melhor profissional que você seja, é bem capaz que alguém consiga reunir competências que se assemelhem, igualhem ou até superem as suas. A realidade é que, se você for demitido ou optar por sair de uma função, será substituído. Ponto.

Sabendo disso, e considerando o contexto de competitividade e carência de vagas no atual mercado de trabalho, é importante conhecer (e aplicar) algumas estratégias (que eu prefiro chamar de comportamentos) que vão fazer com que você se torne uma carta mais difícil de ser descartada.

Não sou gestora de recursos humanos e é bem possível que você ache textos melhores por aí sobre isso. Mas quero, com esse, compartilhar a minha experiência e os meus aprendizados em sete anos como empregada, até resolver criar a Atena Marketing e me tornar gestora – e observar essas mesmas características em meus colaboradores.

A primeira dica é ter bom relacionamento com chefes e colaboradores. Se possível, tente advogar pela união dos dois lados da moeda, buscando criar um ambiente harmônico e que possibilite empatia real no ambiente de trabalho. Gostar de quem está ao seu redor é essencial para querer fazer um bom trabalho, contribuindo para o sucesso do time.

Seja simpático e demonstre interesse real tanto no ambiente de trabalho quanto para os clientes da empresa. Com isso, você estimula tanto o bem estar no ambiente interno como consegue passar uma imagem agradável da empresa onde trabalha e o gestor terá segurança de que você é alguém para se confiar na hora de estar frente a frente com um cliente estratégico.

Prever demandas e problemas e antecipar as soluções também é de essencial importância. Não espere que seu chefe direcione a sua ação ou lhe peça para fazer algo. Se você sabe que uma demanda precisa ser feita, faça. Um “já está feito” alivia a rotina de qualquer gestor. Da mesma forma, seja proativo na hora de antecipar possíveis conflitos e propor soluções que podem ajudar na resolução do problema.

Seja proativo, dê ideias e não se limite ao trabalho padrão. Se você faz o que é típico de sua função, será um bom funcionário para aquele papel. Se consegue mostrar-se superior ao que foi demandado, com certeza será um forte candidato na hora de promoções e recompensas por mérito.

Por fim, seja organizado. A qualidade do trabalho é importante, mas a organização é extremamente relevante para torná-lo mais ágil, eficiente e compreensível. Um relatório maravilhoso em conteúdo perde boa parte de seu mérito se é apresentado de forma bagunçada. Além de tudo, organização é essencial se você trabalha em time. É bem mais simples para a equipe encontrar arquivos e documentos na sua ausência se eles têm uma forma lógica de disposição. Com isso, você facilita para si mesmo, para os colegas e para os gestores. Pontos a mais!

Sobre o autor: Andressa Vieira

Jornalista, cinéfila incurável e escritora em formação. Típica escorpiana. Cearense natural e potiguar adotada. Apaixonada por cinema, literatura, música, arte e pessoas. Especialista em Cinema, Marketing Estratégico e mestranda em Estudos da Mídia (PPgEM/UFRN). É diretora da Atena.

Deixe um comentário